domingo, 10 de maio de 2009

hera transcendente

(Foto de Paulo Nozolino)

Não gosto deste tremor
nas mãos de mãe que avisto
daqui
e se alastra à situação.

Sentidos secos
de corpo a dar ordens
a quem não
quer pertencer ali.

Porto perto de todos,
em que há luz
para a droga
ser apanhada nos bolsos
mendigos de um casal
em contra-fé.

Almas abandonadas em bolsos vazados,
nasce

a noite para a tarde
daqueles. A vaga de perda
para o dono da situação
dizer-se enganado
e mentido.

Não gosta daquela sensação.

Vejo-os daqui. O polícia forra o granito
com motivos
doseados individualmente, o homem
faz companhia à ombreira da porta
e a mulher beija
o cigarro freneticamente
como quem
beija um filho que regressa de um antigo
nascimento ou parte para uma nova morte.

Faltam as imagens,
mas a escrita ganhará
a morte um dia
daqueles.
******

pedro s. martins

4 comentários:

  1. Desculpe minha ignorancia ,mais li duas vezes e fiquei assim como "morta"

    ResponderEliminar
  2. "Não gosto deste tremor
    nas mãos de mãe que avisto
    daqui
    e se alastra à situação."
    Um começo que logo nos prende e nos enrola nas palavras.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Faça uma lista de grandes amigos,
    quem você mais via há dez anos atrás...
    Quantos você ainda vê todo dia ?
    Quantos você já não encontra mais?
    Faça uma lista dos sonhos que tinha...
    Quantos você desistiu de sonhar?
    Quantos amores jurados pra sempre...
    Quantos você conseguiu preservar?
    Onde você ainda se reconhece,
    na foto passada ou no espelho de agora?
    Hoje é do jeito que achou que seria?
    Quantos amigos você jogou fora...
    Quantos mistérios que você sondava,
    quantos você conseguiu entender?
    Quantos defeitos sanados com o tempo,
    era o melhor que havia em você?
    Quantas mentiras você condenava,
    quantas você teve que cometer ?
    Quantas canções que você não cantava,
    hoje assobia pra sobreviver ...
    Quantos segredos que você guardava,
    hoje são bobos ninguém quer saber ...
    Quantas pessoas que você amava,
    hoje acredita que amam você?
    (Oswaldo Montenegro)

    Desejo uma semana com muito amor, carinho e saúde
    Um grande abraço do amigo
    Eduardo Poisl

    ResponderEliminar
  4. "

    faltam as imagens

    "

    na certeza das palavras por decifrar.

    um abraço

    ResponderEliminar